top of page
719f1cbc-471d-46f8-a24c-0354d79cb63b.jpg

Festas de fim de ano exigem cuidados com a COVID-19

Número de crianças contaminadas atendidas no Pequeno Príncipe é quatro vezes maior do que no ano anterior


Por: HOSPITAL PEQUENO PRÍNCIPE


As festas de fim de ano estão se aproximando e os especialistas em saúde alertam para a importância de manter a cautela nos encontros e comemorações, pois a pandemia, infelizmente, ainda não acabou.

De janeiro a novembro de 2021, o Pequeno Príncipe atendeu 1.274 crianças e adolescentes com diagnóstico positivo para COVID-19. O número é cerca de quatro vezes maior do que o registrado em 2020, primeiro ano da pandemia. “A média mensal de pacientes internados em 2020 foi de oito pacientes. Neste ano tivemos um aumento de 163%, passando para 21 casos por mês”, revela o médico infectologista Victor Horácio de Souza Costa Júnior (CRM-PR 1672) , vice-diretor-técnico e coordenador de Ensino e Pesquisa do Hospital Pequeno Príncipe. Do total de casos diagnosticados, 241 pacientes – cerca de 20% – necessitaram de internamento, sendo que 60 foram para a UTI.


Segundo o médico, este ano as famílias buscaram atendimento mais rápido, contribuindo para a precocidade dos diagnósticos. “O diagnóstico precoce faz toda a diferença para a boa evolução do tratamento. As famílias estavam mais em alerta neste ano e felizmente recebemos as crianças com a doença na fase mais inicial, o que aumenta as chances de cura. Os nossos médicos no Pronto-Atendimento também conseguiram fazer diagnósticos mais precoces.”


Nos últimos meses, o número de casos vem caindo consideravelmente, sobretudo graças à vacinação. “Adultos vacinados protegem as crianças, enquanto não chega a vez delas de se vacinarem”, enfatiza Victor. Ele acredita que a liberação das vacinas para as crianças deve acontecer em breve. “Vários países já estão vacinando, e acredito que teremos um bom resultado aqui no Brasil também.”