top of page
719f1cbc-471d-46f8-a24c-0354d79cb63b.jpg

Crescimento da terceira via aumenta chances de segundo turno

Por: Marcio Nolasco - Analista de Políticas Públicas

Em meio à polarização Lula-Bolsonaro, pesquisas de intenção de voto apontam para a possibilidade de o pleito não ser decidido em 2 de outubro. Crescimento de Ciro e Tebet é o fator que altera as previsões


As pesquisas de intenção de votos divulgadas nesta semana, se não mostraram mudanças significativas na disputa entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual, Jair Bolsonaro (PL), deixaram os estrategistas das campanhas diante de um cenário, até então, pouco considerado: a ascensão dos candidatos da chamada terceira via — Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (União Brasil). Apesar de as chances de reviravolta nas posições intermediárias serem pequenas, a conquista de eleitores fora da polarização Lula-Bolsonaro começa a mostrar vigor para levar a disputa ao segundo turno.


A pesquisa mais recente do Instituto DataFolha, divulgada na quinta-feira, mostra Lula à frente de Bolsonaro com 13 pontos percentuais de vantagem (45% a 32%). Essa diferença já chegou a 21 pontos, em maio, mas o presidente conseguiu avançar, de lá para cá, cinco casas no tabuleiro da sucessão, enquanto o adversário se manteve praticamente estável, com recuo de três pontos percentuais (dentro da margem de erro).


A má notícia para Lula é que a soma dos votos dos demais candidatos (49%) supera, pela primeira vez, o seu próprio escore na pesquisa. Números que, se confirmados nas urnas, levariam o pleito para decisão em segundo turno.


A novidade é o avanço de Simone Tebet além da margem de erro dos institutos. Desde que lançou seu nome pelo autodenominado centro democrático (coligação MDB/federação PSDB-Cidadania/Podemos), a senadora por Mato Grosso do Sul patinava entre 0% e 2% na preferência do eleitor. Com o início da propaganda eleitoral obrigatória no rádio e na tevê e o bom desempenho na entrevista que deu ao Jornal Nacional, da TV