destaque-sua-empresa-na-internet.png

Polícia Civil do Paraná alerta população idosa para crimes de estelionato

Na semana em que se comemora o dia mundial de conscientização da violência contra a pessoa idosa (15), a Polícia Civil do Paraná (PCPR) alerta essa população para crimes de estelionato. Golpes são constantemente aplicados contra idosos no Estado.

A data de 15 de junho foi instituída pela Organização das Nações Unidas e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa, em 2006. Ela serve para relembrar a sociedade sobre mecanismos de proteção dessa população.

O delegado da PCPR, Emmanoel David, conta que os golpes mais frequentes aplicados contra idosos são relacionados a falsos empréstimos, golpes que envolvam crédito consignado e bilhete premiado. As idosas costumam ser mais facilmente vítima de estelionatários.

"Os criminosos aliciam as vítimas tanto pessoalmente, quanto por celulares e aparelhos fixos. Os idosos devem desconfiar de aproximações efetuadas em saídas de estabelecimentos como bancos, mercados e farmácias. Ofertas tentadoras de compra e venda, bem como vantagens exageradas de terceiros devem ser tomadas com reserva”, recomenda David.

O delegado da PCPR orienta ainda sobre o uso da internet. Nas telas as negociações também devem ser feitas com cautela. “É importante o idoso observar se os sites visitados realmente existem, se não há reclamações em outros sites na própria internet”, diz David.

Familiares podem ajudar os idosos em caso de golpes. Ao suspeitar de um crime virtual, o familiar pode ajudá-lo a identificar as conversar efetuadas com o estelionatário nos aplicativos e as transferências bancárias que tenham sido feitas.

PROTEÇÃO DE VULNERÁVEIS – O Núcleo de Proteção de Vulneráveis da PCPR apura crimes praticados contra pessoas em situação de vulnerabilidade social, entre elas, os idosos. O Núcleo atende casos em Curitiba em que a autoria do crime seja incerta ou ignorada. Também são tratadas como vulneráveis a população LGBTI+, pessoas com necessidades especiais, pessoas em situação de rua, migrantes apátridas e refugiados.

A frente do Núcleo de Proteção a Vulneráveis da PCPR, o delegado Claudio Marques, diz já haver a necessidade para adequação no atendimento a idosos. “Cada vez mais nós servidores precisamos estar aptos para atender a essa população. A maioria dos idosos hoje possuem dificuldade de locomoção e vulnerabilidade econômica, então para eles é difícil se dirigir até uma delegacia”, explica.

Marques lembra ser importante tratar os idosos com respeito, urbanidade e oferecer a eles acessibilidade nos prédios públicos. A lei 10.741 de 2003, do Estatuto do Idoso, traz vários crimes previstos e que têm sido investigados pelo Núcleo de Proteção a Vulneráveis da PCPR. Maus-tratos, apropriação indébita e discriminação em relação à idade são os delitos mais recorrentes.

Fonte: PCPR

destaque-sua-empresa-na-internet.png