top of page
719f1cbc-471d-46f8-a24c-0354d79cb63b.jpg

'Piu Piu', 'Quelzinha Direita', 'CVC': conheça alvos da operação da PF que pegou Jordy

A 24ª etapa da Operação Lesa Pátria, aberta na manhã desta quinta-feira, 18, mira, além do deputado Carlos Jordy (PL-RJ), outros nove investigados que participaram e deram apoio aos atos de 8 de janeiro. O grupo também é suspeito de ter organizado atos antidemocráticos que antecederam a intentona golpista, como o bloqueio de rodovias após as eleições 2022 e os acampamentos montados em frente a quartéis do Exército, como em Campos dos Goytacazes, no Rio.



Fora Jordy, também tiveram os endereços vasculhados pela PF nesta manhã:


Raquel Nunes Barboza, José Maria Mattar, Juliana Machado da Silva Ribeiro, Luiz Eduardo Campos de Oliveira, André Luis Santos Carneiro, Neide Mara Gomes Palmeira, Charles Adriano Siqueira de Souza, Leonardo Loureiro Ferraz e Lúcia Maria Caxias dos Santos.


O inquérito abarca um número maior de investigados. Uma parte foi alvo de uma etapa ostensiva da apuração em janeiro de 2023. Entre eles está Carlos Victor de Carvalho, que teve a prisão temporária decretada na ocasião.


A ligação de Carlos Victor - apontado como 'liderança de extrema-direita e organizador de eventos antidemocráticos em Campos dos Goytacazes' - com o deputado Carlos Jordy fez o inquérito ser remetido ao STF.


De acordo com a PF, o grupo sob suspeita fechou a BR-101, tentou providenciar alimentos e insumos para os manifestantes que se encontravam ao redor do quartel do Exército em Campos e organizou a ida de extremistas a Brasília.


A investigação foi inaugurada pela Delegacia da PF em Campos para apurar os bloqueios de rodovias em todo o País e a montagem de acampamentos nos arredores de quartéis das Forças Armadas após as eleições 2022.