top of page
719f1cbc-471d-46f8-a24c-0354d79cb63b.jpg

Perigo! Pátria "ARMADA" Brasil

Atualizado: 25 de out. de 2022


Passou de um milhão o número de armas registradas por caçadores, atiradores e colecionadores no Brasil.

Identificados pela sigla CACs (caçadores, atiradores ou colecionadores), eles são beneficiados por vários decretos publicados nos últimos quatro anos, sob o governo de Jair Bolsonaro (PL).

A cientista social Giane Silvestre, pesquisadora de pós-doutorado no Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV/USP), alerta para vários riscos do acesso ampliado a armas. Ela destaca, entre outras consequências, que o trabalho das polícias é dificultado, e os agentes de segurança ficam sob risco ainda maior.

Cresce o risco a policiais e também à população, pois a circulação de armas facilitada, torna os criminosos mais perigosos. A exemplo do maior risco, em uma abordagem de uma polícia militar, um Suspeito armado pode revidar, pode haver troca de tiros, elevando o perigo aos policiais e a pessoas próximas em ruas, comércios ou residências.

O pior é que até o Exército admite que não tem controle exato sobre o total de armas circulando por ai na mão de "CACs". Várias investigações policiais confirmam que armas registradas por CACs estão nas mãos de organizações criminosas por desvio, roubo ou uso dos CACs como "laranjas" para armar o crime.

Já é provado que o discurso "armas elevam segurança pessoal" é falacioso, pois o interesse no Lucro das indústrias bélicas fomentam estes argumentos. E em sua concepção epistemológica, arma é objeto de ataque, não de defesa.

Ter armas em casas também é perigoso, pois torna-se um atrativo aos criminosos, que mapeiam os CACs e rastreiam suas residências pelo interesse nos objetos bélicos. Ainda mais fácil quando os CACs, postam suas armas ou treinos de tiros em redes sociais. Daí é que são mais visados e procurados por criminosos. O furto ou assalto visando armas resulta em maior violência e equipa as quadrilhas fortalecendo os criminosos.

Ainda há que citar as tragédias como crianças e adolescentes encontrando, usando ou acidentalmente disparando estas armas e levando a morte amigos, familiares ou pessoas próximas. O risco de feminicídio também é maior quando se tem arma em casa...

Por fim, Arma boa é na mão das Polícias e Forças Armadas. Não mão do povo é Perigo!

@profsta #profsta