Com fome, macacos se arriscam nas ruas próximas ao Cinturão

Aida Franco de Lima – Professora universitária. Dr.ª e Mestre em Comunicação e Semiótica; Jornalista e Especialista em Educação Patrimonial; Guia Especializada em Atrativos Turísticos Naturais.

Macaco- prego sai das matas do Cinturão em busca de comida nas lixeiras das residências próximas. Trabalho de conscientização com motoristas e acompanhamento de biólogos é essencial (Foto: EM)


Sem nunca ter sido feito um trabalho efetivo de Educação Ambiental, com a ausência de um trabalho educativo junto aos motoristas, para que reduzam a velocidade nas vias próximas ao Cinturão, ao contrário, a tendência é sempre aumentar a velocidade, os macacos-prego são alvos fáceis no trânsito. Eles saem da mata em busca de comida nas residências e não há cerca que os segurem. Esses foram fotografados e filmados na região do Jardim Universidade, proximidades do mercado Araucária e Escola Municipal Lúcia Moro. "Já vi um morto ali no mesmo lugar, provavelmente vítima de atropelamento", conta uma moradora.


"Eles estão com fome, saem da mata pra vir buscar comida nas lixeiras. Precisaria ter alguém responsável por eles no Parque. Não é porque são silvestres que podem ser largados, até porque eles saem da mata em busca de comida. Algo precisa ser feito, um estudo, um biólogo para indicar como lidar com isso", aponta a moradora que os filmou.

Vídeo mostra macacos atravessando rua próxima do Cinturão. Não raro aparecem mortos nas pistas do entorno como narrado aqui