destaque-sua-empresa-na-internet.png

Casal de Maringá perde 40 mil reais ao cair em golpe durante compra de caminhão em Japurá

Na noite desta segunda-feira, por volta das 20h, Policiais Militares foram acionados e compareceram à Rua Mario Pedrali no Jardim Modelo em Japurá, para dar atendimento a uma situação de estelionato.

No local, os policiais mantiveram contato com a solicitante que relatou que ela e seu esposo, moradores de Maringá, haviam negociado com uma pessoa, a compra de um caminhão, M. BENZ/L2213 pelo aplicativo de marketplace (plataforma de vendas das redes sociais Facebook), e que essa pessoa por sua vez repassou o contato telefônico de outro cidadão, para que o casal pudesse olhar o mencionado caminhão. Assim, o casal deslocou à cidade de Japurá para verificar o estado do caminhão e dar prosseguimento na compra.

Ocasião em que o esposo da solicitante aprovou o caminhão e decidiram concretizar a compra do veículo. O cidadão, morador de Japurá, proprietário do caminhão, repassou o CRLV - Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo ao casal e ficou aguardando a realização do pagamento para realizar a liberação do caminhão.

Nesse momento, segundo a solicitante, o casal efetuou 04 (quatro) depósitos bancários, 02 (dois) no valor de R$ 10.000,00, 01 (um) de R$ 15.000,00 e outro no valor de R$ 5.000,00 que totalizaram R$ 40.000,00 (Quarenta mil reais), todos na conta bancária de uma terceira pessoa desconhecida, conforme tinham combinado com o suposto vendedor pelo aplicativo de mensagens WhatsApp.

O esposo da solicitante relatou ainda que a compra do caminhão havia sido combinada da seguinte maneira: ele iria repassar o valor de R$ 40.000,00 (Quarenta mil reais) nesta data (14/06/2021), o que fora feito através dos 04 (quatro) depósitos, e que no dia subsequente repassaria um veículo GM/Corsa Sedan de sua propriedade no valor de R$ 15.000,00 (Quinze mil reais) e para finalizar o valor de R$ 16.000,00 (Dezesseis mil reais) em uma nova transferência via Pix, totalizando um valor de R$ 71.000,00 (Setenta e um mil reais).

Após realizar os depósitos o casal percebeu que as mensagens que estavam enviando para o cidadão que havia negociado o caminhão não estavam sendo entregues, assim questionaram o proprietário do caminhão quanto à demora em liberar o caminhão a eles. Ante as afirmações do casal, os policiais militares ao indagarem, o responsável pela venda do caminhão, a respeito dos fatos, este afirmou estar negociando a cerca de uma semana a venda do caminhão de propriedade da família, com um cidadão pelo celular, via WhatsApp. Informou também que o valor negociado era de R$ 90.000,00 (Noventa mil reais), cujo valor por orientação do cidadão não era para ser mencionado ao casal, sob a alegação de que estaria realizando um acerto de contas com eles. E que na data de hoje dariam prosseguimento a negociação do caminhão, ocasião em que repassou o endereço ao cidadão que manteve contato via celular, e assim o casal chegou até a sua residência por volta das 17h30 para iniciarem a negociata. Onde por volta das 18h50, ele recebeu um comprovante via Pix em nome de uma empresa, no valor de R$ 90.000,00 (Noventa mil reais), e que até o presente momento não havia recebido tal transação bancária, razão pela qual passou a enviar mensagens ao cidadão, suposto comprador, as quais não tiveram mais retorno. Instante em que notou que se tratava de um possível golpe e não liberou o caminhão ao casal.

Assim, diante dos fatos, o caminhão permaneceu com o proprietário e as possíveis vítimas de estelionato foram orientadas quanto aos procedimentos cabíveis.

Orientação da Polícia Militar:

Por derradeiro, cumpre ressaltar que a Polícia Militar orienta a evitar intermediários, procure negociar diretamente com o comprador/vendedor. Sempre desconfie de valores muito abaixo do mercado e se atente a conversas onde a pessoa interessada, se passando por vendedor/comprador, diz que está negociando o veículo para um amigo/parente.

Fonte: 5ªCIPM

destaque-sua-empresa-na-internet.png