Av. Paraíba: alagada e sem árvores, é reflexo do desrespeito com o dinheiro público e meio ambiente

A mudança climática está batendo à nossa porta, com chuva de pedra deixando um rastro de destruição, ventos à 100 por hora, chuva que era para cair em um mês, derramando em poucas horas. Quando não, o contrário. Torneiras vazias, conta de luz nas alturas porque tem pouca água nos rios para girar as turbinas que trazem a energia para nossas casas.

Mas todos esses sinais não são suficientes para frear a destruição ambiental diária, que acontece aos nossos olhos. Uma boa parte dessa destruição legalizada pelos órgãos que deveriam fiscalizar. Danos ambientais cometidos por empresas que ainda usam o marketing ambiental para vender seus projetos. E se você citar o nome delas, ainda leva processo nas costas. Silêncio. Vamos fazer cara de paisagem! De preferência com palmeiras imperiais.

Na noite desse sábado, 23, alguns vídeos que circulam, mostram as águas tomando conta da Avenida Paraíba, em Cianorte, Paraná. Um problema crônico, que só não piora mais, por conta da escassez das chuvas. E ontem, não foi diferente.


Avenida da Moda, alagada, mesmo depois da revitalização promovida pela gestão anterior, no valor de 1.053.578,8 (Fonte: redes sociais)


Mas para quem tem a memória curta, vamos refrescá-la. A Avenida da Moda, era toda tomada de árvores, de fora a fora. E você pode ler aqui todo o processo de 'revitalização', promovido pela administração do grupo político anterior, que comandou Cianorte por 16 anos consecutivos. Isso quer dizer que o problema não é de agora, que esse texto não reflete o descaso ambiental com o qual o meio ambiente de Cianorte continua a ser tratado. Isso significa que Cianorte nunca teve uma administração realmente preocupada com a preservação ambiental e com o planejamento da Cidade. Hoje, a avenida está ainda mais compactada, de cimento. Em vez de das árvores frondosas que proporcionavam frescor e abrigavam pássaros, temos palmeiras imperiais. De acordo com o Tribunal de Contas do Estado, a obra está PARALISADA, com 86,88%, teve início oficialmente no dia 31 de dezembro de 2020, com investimentos de 1.053.578,80.




A avenida era tomada por árvores e pequenos canteiros, quase uma centena de árvores foram cortadas, no total (Foto: Aida Franco de Lima)



Em matéria publicada, afirmava-se que a obra iria melhorar a economia do local, atraindo novos investidores e compradores (Foto: Aida Franco de Lima)

Dano ambiental foi apurado pelo Ministério Público que exigiu replantio de árvores em outros locais (Foto: Aida Franco de Lima)

Cada palmeira imperial custou 1.200 reais dos cofres públicos (Foto: Aida Franco de Lima)

Cartão postal para quem adentra ou sai da Avenida da Moda, em Cianorte (Foto: Aida Franco de Lima)