Av. Makio Sato: cianortenses enfrentam congestionamento e animais silvestres, o DESMATAMENTO


Em Cianorte uma boa parte da comunidade está falando do transtorno que é sair e, principalmente, voltar para casa, com o fechamento temporário, de 27 de setembro a 01 de novembro, da avenida Makio Sato (Fantasminha). Mas quase ninguém está falando dos animais que não tem mais casa para voltar, porque a mata foi derrubada. Como disse, pra muita gente, isso não passa de mimimi Falam do sofrimento que é o congestionamento da via alternativa, a Avenida Genei Uehara, estreita e lenta. Também desconheço a mesma pressão que havia para duplicar a pista que corta a Floresta e essa outra, que passa ao lado de um mandiocal, que há 20 anos era floresta também!



Não se notou a mesma pressão para duplicar essa via como foi observado no trecho da Makio Sato, que atravessa o Cinturão Verde (Fonte: RPC https://globoplay.globo.com/v/9899250/?s=0s )


Quem está preocupado com os animais que ali viviam? Quem prestou cuidado para verificar se havia filhotes, ninhos, nessas moradias que da noite para o dia foram destroçadas ? Quem está preocupado com os animais silvestres? Vi outro dia o anúncio para uma pracinha pra cachorro se divertir. Quem me conhece sabe o quanto defendo os animais, que fui a responsável por denunciar a Câmara de Gás em Cianorte, que matava cachorro com requintes de crueldade. Mas faça-me o favor! Nossos animais, gatos e cachorros precisam é de castração e comida. Os protetores precisam de ajuda para mantê-los, principalmente com cuidados veterinários. Falar em pracinha pra cachorro brincar, enquanto se derruba a mata, a moradia de animais silvestres, para mim soa como hipocrisia. E das grandes! Do tamanho de uma grande erosão!


Além da derrubada de parte da mata, os animais serão afugentados por um longo período com os ruído provocados pelas obras


Para quem não sabe, a Doutora em Biologia das Interações Orgânicas, Priscilla Esclarski, e a acadêmica de Ciências Biológicas, ambas vinculadas à UEM, passaram pelas mediações das obras da Makio Sato e em pouco tempo que lá estiveram, observaram 16 espécies diferentes! Isso mostra a riqueza do local, que teve parte destruída. Como é que o IAT -Instituto Água e Terra, libera uma obra dessas, sem Audiência Pública e sem demonstrar ou exigir o devido cuidado com essa riqueza da avifauna? Como alguém pode dizer que ali não houve 'dano ambiental' ? Será que vamos continuar a manter essa 'espiral do silêncio', enquanto o Cinturão é comido pelas beiradas, em nome de um progresso que beneficia alguns empresários que lucram com obras que impactam a mata, mas sempre em nome do desenvolvimento de Cianorte?


AVES REGISTRADAS AVENIDA MAKIO SATO: 08/09/2021 das 16h às 17h -


Condição climática (nublado/chuvoso) Em um período de uma hora de transecto na borda da mata existente da avenida Makio Sato, foram realizados os registros visuais e auditivos de 16 espécies de aves. Nenhuma das espécies foi registrada solitária, todas estavam em casais ou bandos e usufruindo da área para alimentação e forrageio. Foram registradas espécies frugívoras, insetívoras, onívoras e predadoras, espécies florestais, sinantrópicas e de área abertas. Tais registros demonstram grande riqueza e diversidade da comunidade de avifauna na região, também a qualidade e importância desta área preservada, que fornece recursos essenciais para sobrevivência de tais espécies mesmo em ambiente urbano.


1- Juruva (Baryphthengus ruficapillus) Ave onívora que habita matas primárias com sub-bosque de bambus, matas de encostas ou matas secundárias altas. Bioindicadora de qualidade ambiental