top of page
719f1cbc-471d-46f8-a24c-0354d79cb63b.jpg

Acidente com avião da Chapecoense completa 5 anos com processos parados

Por Paulo Tertulino - Blogueiro


Nesta segunda-feira (29), o acidente com o voo da Chapecoense, que matou 71 pessoas - entre jogadores, dirigentes, jornalistas e convidados -, completa cinco anos. Entre as vítimas estava o goleiro Danilo, de Cianorte.


O avião partiu na noite de 28 de novembro de 2016 de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, com destino a Medellín, na Colômbia, onde a Chapecoense iria disputar a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional. O jogo estava marcado para o dia 30 de novembro. A aeronave caiu a poucos quilômetros da cidade colombiana, à 1h15 (horário de Brasília) de 29 de novembro de 2016.


Embora alguns passos tenham sido dados após o acidente, nada foi resolvido.


Parada durante cerca de um ano e dez meses, a CPI da Chapecoense, que apura os responsáveis pela tragédia e as condições das famílias das vítimas, retomou o trabalho no último dia 18. Desde então, houve duas sessões.


A principal delas contou com o depoimento da boliviana Celia Monasterio Casteldo, responsável por autorizar o voo. Presa em setembro pela Polícia Federal no Mato Grosso do Sul, onde estava foragida da Justiça de seu país, ela culpou a Aeronáutica da Bolívia por permitir a decolagem do avião mesmo com a apólice do seguro irregular e um plano de voo "inconsistente".